Do papiro ao e-book [parte 2]

2 de abril de 2012

Mais um post sobre a "evolução" do livro, onde eu comecei com esse post, contando sobre o surgimento da escrita e depois falei aqui sobre os materiais utilizados na Antiguidade para escrever. Agora falta pouco para chegar ao modelo mais recente dos livros, os e-books. Acredito que apenas mais um post será necessário ou no máximo dois.


Na Idade Média o livro sofre um pouco, na Europa, por causa do excessivo fervor religioso e passa a ser considerado como um objeto de salvação. A característica mais marcante da Idade Média é o surgimento dos monges copistas, homens dedicados em período integral a reproduzir as obras. Nos monastérios era conservada a cultura da Antiguidade. Apareceram nessa época os textos didáticos, destinados à formação dos religiosos.

O livro continua sua evolução com o aparecimento de margens e páginas em branco. Surge a pontuação no texto e o uso de letras maiúsculas. Também aparecem índices, sumários e resumos, e na categoria de gêneros, além do didático, aparecem os florilégios (coletâneas de vários autores). Progressivamente aparecem livros em língua vernacular, rompendo com o monopólio do latim na literatura. O papel passa a substituir o pergaminho.

Mas a invenção mais importante foi a impressão, no século XIV. Consistia originalmente da gravação em blocos de madeira do conteúdo de cada página do livro. Os blocos eram mergulhados em tinta e o conteúdo transferido para o papel, produzindo várias cópias.
Foi em 1405 que surgia na China, por meio de Pi Sheng, a máquina impressora de tipos móveis, mas a tecnologia que provocou uma revolução cultural moderna foi desenvolvida por Johannes Gutenberg.


Na Idade Moderna, no Ocidente, em 1455, Johannes Gutenberg inventa a imprensa com tipos móveis reutilizáveis de metal.

Gutenberg vivia numa região caracterizada pelo cultivo de vinho. Prensas de vinho já eram utilizadas para a obtenção do vinho, a fim de “ex-primir” o suco das uvas. A prensa de vinho foi tomada como molde embora ainda fosse necessário muito trabalho para transformá-la numa impressora tipográfica.
A suspensão da placa, que não deveria girar, foi uma importante inovação. A semelhança com as prensas de vinho desta época é inconfundível.
Com ajuda do torniquete da prensa, imprime-se a placa com o papel sobre os caracteres. Enquanto um artesão imprime, o outro aplica tinta nos caracteres, sempre de forma alternada.
A prensa fornece uma face de texto muito mais homogênea do que a que os melhores escribas da época eram capazes de fazer manualmente.


O primeiro livro impresso nessa técnica foi a Bíblia em latim. Houve certa resistência por parte dos copistas, pois a impressora punha em causa a sua ocupação. Mas com a impressora de tipos móveis, o livro popularizou-se definitivamente, tornando-se mais acessível pela redução dos custos da produção em série.

Página de um exemplar da Bíblia de 42 linhas, o primeiro livro europeu
impresso por processo industrial, na oficina de Gutenberg em Mainz.

A rápida reprodução de textos com tipos móveis levados ao prelo foi um acelerador decisivo para a difusão das idéias do Humanismo, da Renascença, e também depois de 1500, do Protestantismo, ajudando a levar a termo o sombrio período da Idade Média e o monopólio cultural da Igreja Católica.
Bulas e panfletos, propaganda religiosa, foram os primeiros meios de comunicação de massas que saíram dos prelos de Gutenberg.

* prelo: máquina tipográfica de impressão; prensa.

Passados 350 anos depois da revolucionária invenção de Gutenberg, a impressão passou por poucos aperfeiçoamentos. A Revolução Industrial mudou o curso da Imprensa, mecanizando o processo da impressão.

24 comentários:

  1. eu beijaria gutenberg se ele não estivesse morto há muito tempo haha mt genial a invenção do cara!

    ResponderExcluir
  2. O que seriamos sem essa invenção maravilhosa!?

    ResponderExcluir
  3. Queria poder agradecer ao Gutemberg... :D
    Adorei a coluna... bem legal =]

    Beijos.
    #Resenha falada.

    ResponderExcluir
  4. Hey!
    Valeu tio Gutchi! Tenho certeza que onde ele estiver deve saber do trabalho maravilhoso que fez.!

    Pois é faltou luz duas vezes no cinema.. a segunda ficou bem escuro e demorou pra voltar.. fiquei um pouco assustada haha
    Assisti Jogos Vorazes, e me interessei muito pelo livro.

    beijos e uma ótima terça pra você
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  5. Gutenberg: um dos homens mais amados pela população literária!
    Adorei a coluna. (:

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  6. Oi, Raquel!
    Adorei o post! Muito legal saber mais sobre a evolução dos livros, tudo graças ao Gutemberg!

    Beijos,
    Bianca - http://www.epilogosefinais.co.cc/

    ResponderExcluir
  7. Oi Raquel!
    Muito bom esse post, sério! Parabéns!

    Beijos, Kamila
    http://vicio-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Tava pensando em ebook hoje e pensando na evolução. Não consigo comprar nada em ebook, por mais que seja em conta, preciso do livro em mãos. Mas nossa, pensar na evolução, do papiro aos dias de hoje é incrível. Eu tenho essa paixão por pensar em coisas assim, é muito bom. E já te disse né? Adoro quando você faz esses posts.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  9. Graças a Deus que Gutenberg fez isso, né? Imagina todo mundo copiando tudo a mão até hoje? Isso seria desgastante demais... Vixe... :/
    Eu realmente gostei dessa sua explicação. Saber é sempre bom e nunca é demais. Mas eu confesso que prefiro livros impressos a e-books. haha
    Bjo!

    http://miasodre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Que evolução! Muito legal o seu post, saber o processo historico que ocorreu até chegarmos ao que temos hoje é excelente. Eu sempre gosto de saber da historia das coisas em geral, e a do livro eu só conhecia por alto. Valeu pelo post.
    Parabéns.

    Beijos
    sobremimemeumundo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Adorei o post! Muito legal saber como começou a história do livro.
    Eu ainda prefiro o livro impresso ao e-book, mas tenho certeza que, quando eu tiver filhos, eles vão preferir os e-books... rs.

    Bjinho,
    Pri.

    ResponderExcluir
  12. Muitas coisas das quais não sabia
    Amo curiosidades

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi querida, nossa muito bom mesmo.
    Adorei esse post!
    Já correndo pra ler a primeira parte (:
    ...
    Então, você também é de Santos, neh?

    >> Promoção da Semana: Promoção Dupla (Blog + FB) - [http://migre.me/8q0w2] e Concurso Literário [http://migre.me/8wpyh]

    Abraços,
    Marinah Gattuso
    Contato: marinahbarcelos@hotmail.com
    Blog: marinahgattuso.blogspot.com
    Twitter: @blogmarinah_g
    Skoob: http://migre.me/8eOdZ

    ResponderExcluir
  14. Que post interessante! Nunca parei para pensar sob essa ótica. Muito bom, parabéns!

    Coisas Fúteis

    ResponderExcluir
  15. Muito boa a ideia destes posts!
    É interessante saber como começou a "vida" destes que nos tiram o sono ahahahaha

    ResponderExcluir
  16. É, então... quando eu descobri o Orangotag ele também dava muitos erros, mas hoje em dia ele parou de macacada (como eles dizem quando estão fazendo manutenção).

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  17. Tudo bem que e-books são super práticos, mas não acho que eu consiga substituir meus queridos livros de papel pelos eletrônicos. Talvez apenas como uso paralelo, rs. XD Esses posts com curiosidades são muito interessantes, nem sempre nos ligamos na origem das coisas que usamos diariamente. :)
    Boa Páscoa!

    ResponderExcluir
  18. nossa... vc falando da evolução do livro e eu fui lembrando de todos os livros e textos de teoria da comunicação que eu li que falavam sobre a invenção da imprensa hehehhe
    bem legal ficou seu texto ^^
    Bjuxxxx

    ResponderExcluir
  19. Primeiramente, devo dizer que eu adorei a coluna, uma boa a sua ideia e bem interessante também e o que seria de mim sem essa invenção incrível? *-* haha.
    Bjs

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Gente! Isso me fez lembrar tanto o Ensino Médio! rsrs
    Gostei muito da coluna, bem instrutiva!
    bjaooo

    ResponderExcluir
  21. Sempre me perguntei como eram feitos os primeiros livros e fiquei feliz em conhecer um pouco dessa história. Essa maquina é muito bacana, deve ter dado muito trabalho para construída! E quando a maquina de escrever foi criada? Você vai postar algo assim? Gosto muito desse tipod e posts. :)

    Beijos, Raquel

    ResponderExcluir
  22. Realmente é muito dificil de ver esses livros em quadrinhos nas prateleiras, mas é só procurar ou pedir ao vendedor. É muito bom pra descontrair.

    Beijão. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  23. Oiii
    Fico feliz que você tenha se indentificado com a minha
    história e também por compartilhar a sua comigo.Espero
    que você consiga atingir todos os seus objetivos(desde
    entrar na faculdade até viajar muito srs).Enfim todas
    as experiências da vida são validas!!
    Ah parabéns pelo o seu blog(e pelo o post tambèm)
    ele é super interessante!
    Já estou seguindo!!!

    paginasempreto.blogspot.com

    Beijos

    ResponderExcluir
  24. AAhh,que incrível! Você está fazendo um ótimo resumo de uma evolução incrível e tão grande, adoreei ler!
    Acho lindo ver o que as pessoas conseguiam fazer antigamente, quando não se podia contar com internet e quase nenhuma facilidade!

    Beeeijo fofa!
    http://blogmymemories.tk

    ResponderExcluir

Postar um comentário